sábado, 13 de junho de 2015

Sinónimos e antónimos

No léxico reside um dos maiores desafios dos falantes de uma língua. Pelo léxico se constrói a riqueza da comunicação. Com o léxico se consubstancia a felicidade da língua. A felicidade de traduzir em palavras as mais íntimas emoções. A alegria de descrever com rigor a correta sensação. O alívio de transmitir ao recetor a perceção dos nossos sentidos. No dia a dia a língua vive apertada. Reduz-se ao essencial, às mais básicas palavras, simples sem alegorias, ornamentos ou erudição reboscada. O dia a dia exige prontidão, perceção espontânea, clareza e tiro certeiro de entendimento. Não há espaço para léxico clássico, não corrente, de interpretações dúbias e bloqueadoras. Na poesia, no romance, nas artes sim. Aventura-se o texto por caminhos mais ousados. Toma a coragem das palavras caras, da expressão luxuriante, emocionante e corajosa. No dicionário, essa prima invenção biblíca da língua, reúne-se de forma ordenada o léxico. As palavras que dão corpo à língua. A chave da sua leitura. A coleção perfeita de todos os sinónimos, numa teia infinita de afinidades e ligações entre as partes. Um sinónimo é um farol para a expressão ótima. O caminho confortável para um texto mais rico, mais analógico, menos digital. Mais humano, menos técnico. Dar vida ao vocabulário vernacular, legado histórico dos nossos falantes. Sobretudo revigorar a alma da emoção. Um sinónimo é isso. É o irmão da palavra. A cumplicidade do significado na unicidade de uma identidade própria, familiar, mas diferente, com outra leitura. Em oposição de fase um antónimo. O revés da mensagem. A necessidade de exprimir o caminho contrário. O oposto. Na certeza que este é exatamente a negação do outro. A complexidade da negação de si desbloqueada pelo alívio de encontro de um antónimo. A alegria de descobrir uma palavra só, que retire o não, que eleve a expressão ao significado desejado, sem referência cruzada ao vocábulo que lhe deu origem. Não alimentar expetativas, pela possível queda do não. Pela incerteza do canal o omitir, conduzindo a mensagem ao oposto não desejado. O antónimo desbloqueia a língua, traduz-lhes significados cruzados. Reforça a sua estrutura. A minha pátria é a minha língua, diz Pessoa. A bagagem de sinónimos e antónimos o cartão de cidadão da minha alma, digo eu.


Enviar um comentário